Curso de Aquarela em Porto Alegre

Oi pessoal, tudo bem com vocês? Primeiramente, um feliz dia das mães para todo mundo! Aproveitem com as suas este domingo lindo!

Estou vindo aqui para contar a todos vocês sobre a Oficina de Aquarela que fiz ao lado da minha mãe, sempre uma artista de primeira. O curso aconteceu no Complexo de Ideias e teve como professora a Camila Raposa, uma ilustradora muito talentosa e apaixonada pelas técnicas da aquarela.

01

Turma linda do curso com a prof. Camila Raposa

Começamos a aula conhecendo um pouco dos materiais utilizados para pintar. A Camila nos apresentou as diferenças entre materiais bons e ruins. Os nossos materiais foram patrocinados pela Koralle, pela Canson e a Hahnemüle. Em outro post vou falar só sobre a Koralle, uma loja para quem tem muita força de vontade para não estourar o cartão! Haha!

Em resumo, melhor custo-benefício para as tintas de aquarela: Pentel. Melhor tipo de papel: qualquer papel que tenha uma gramatura acima de 300g/m. Pincel: deve ser macio, com pontas que variam entre chanfradas e chatas. Enfim, saímos da aula e fomos morrer (só um pouquinho) para comprar tudo isso na Koralle. 😛

Fomos treinar as técnicas de cor chapada, degradês de uma e duas cores, pintura wet on wet (pintar sobre o papel já molhado)… Tudo precisa de bastante treino para pegar a noção. Eu achei mais difícil do que esperava, mas adorei de qualquer forma. Aprender a misturar e utilizar a tinta de forma econômica é essencial para fazer um trabalho bacana.

05.jpg

Insira um título

Acredito que todos os 11 alunos desta turma adoraram tanto quanto eu! Só conseguia ouvir a galera feliz, animada com suas criações. Foi uma manhã de sábado memorável com a minha mãe. Aprender com quem estimulou a minha criatividade desde sempre é gratificante. Espero eu e minha mãezinha possamos compartilhar vários outros cursos de arte juntas! ❤

03

Mãezinha concentrada nas tintas ❤

Espero que vocês tenham curtido!
Quem for da região de Porto Alegre, me conta nos comentários, assim aviso com antecedência das datas de cursos que descubro por aqui!

Quem for de fora e quiser levar cursos desses para a sua cidade, também posso ajudar. Bora comentar! 🙂

Anúncios

4 comentários sobre “Curso de Aquarela em Porto Alegre

  1. Um dia vou aprender algum tipo de arte visual. Por não ter cursos tão interessantes na minha região (Itajaí, SC), cheguei até a pesquisar vídeos de cursos online e lojas online de materiais e coisa assim, mas nunca foi pra frente – me faltou o incentivo da presença, de um curso de verdade pra deixar a coisa concreta. Por outro lado, nem sei dizer se é a hora de me dedicar a isso. Quero me dedicar 100% à escrita, mesmo as duas artes não sendo tão diferentes assim, por enquanto. Já é tão difícil aprender a escrever, imagina tentar pintura ao mesmo tempo…
    Admito que boa parte do meu interesse em aquarela vem do fato dum dos meus escritores favoritos, Henry Miller, ter sido aquarelista.
    Também me interessa muito o estilo de pintura do Gao Xingjian, outro escritor. Não sei o nome da técnica, mas não é aquarela.

    Obs.: demais sua mãe continuar aprendendo coisas. Vi num post anterior que ela e seu pai fizeram curso de sommelier. Olha, espero chegar na idade deles com tanto ânimo pra aprender coisas.

    • Sim! Para mim faz parte da minha profissão aprender várias formas de se comunicar. Como sou publicitária, preciso entender um pouquinho sobre cada coisa. Atualmente estou ilustrando um livro infantil, coisa mais deliciosa de fazer! Mas escrever vai ser sempre minha principal paixão, ainda que não esteja conseguindo me dedicar tanto quanto gostaria para isso (às vezes dóis demais escrever. Pra ti também é assim?).
      Adorei as pinturas do Xingjian! Acredito que sejam feitas com carvão e nankin. Amo nankin!
      Minha mãe é mesmo curiosa, pilhada para vários cursos. Agora quer fazer um de Fusion em Vidro. Aposentada pode! Hehe!

      Muito obrigada pelo comentário!

      • Compreendo a dor. Vem de vários lados: por escrever, por não escrever, por ler um autor que parece ter escrito aquilo que eu queria mas não tenho capacidade de escrever (passando por isso agora com Harmada, do seu conterrâneo João Gilberto Noll, e com os poemas da Emily Dickinson, do Frank O’Hara e do John Berryman). É muita dor, mas a gente aguenta, né? e se diverte com ela.
        Pesquisei rápido a técnica do Xingjian, se chama sumi-ê, tradição oriental que usa pincel e tinta parecida com nanquim. Então, você quase acertou só de olho.

      • Exato! Um dor visceral. Mas dizem que se dói, o texto está bom. Eu espero que seja verdade! Hahah
        Vou pesquisar sobre essa técnica. Achei muito lindo o trabalho do Xangjian. Um trabalho intenso.
        Valeu pela troca, pra mim é gratificante receber teus comentários inteligentes. 🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s